Criação de vagas formais cresce 25% e bate recorde

É a melhor marca para o período janeiro-novembro na série histórica do Caged, mas número do ano deve cair por conta de demissões neste mês

Leonardo Goy, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

14 de dezembro de 2007 | 00h00

O aquecimento da economia levou as empresas a criar 124.554 empregos com carteira assinada em novembro, um recorde para o mês, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, divulgados ontem. O número representa aumento de 0,42% no estoque de empregos ante o mês anterior. Veja a evolução do Caged No acumulado de janeiro a novembro, o total chegou a 1.936.806 postos formais, também a melhor marca para o período na série histórica do Caged, que começou em 1992. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um crescimento de 25,26% no número de empregos. Nos 12 meses, encerrados em novembro, foram abertas 1.619.313 vagas formais. O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, reiterou a expectativa de que, em 2007, serão criados entre 1,650 milhão e 1,700 milhão de empregos. "Com isso, bateríamos o recorde de 2004, de 1,523 milhão de novas vagas." Lupi explicou que sua estimativa para 2007 é inferior ao que já foi verificado de janeiro a novembro (1,936 milhão) porque em dezembro normalmente ocorrem demissões. A expectativa é de que, neste mês, serão fechadas 250 mil vagas.Segundo Lupi, a meta do governo para 2008 é 2 milhões de vagas. "O próximo ano deverá ser um dos melhores para o País, com um crescimento do PIB de cerca de 6%", disse.O comércio foi o setor que mais contratou em novembro, criando 99.677 empregos com carteira assinada. "Esse movimento é normal para esta época do ano, mas, desta vez, superou as expectativas", disse Lupi. No setor de serviços foram criados 62.422 postos e, na construção civil, 7.811 vagas. De acordo com o ministério, a expansão das vagas nesses setores compensou as reduções verificadas na agricultura (-43.105 postos) e na indústria de transformação (-2.496 vagas).No acumulado do ano, todos os setores registram aumento no número de empregos. O destaque foi o segmento de serviços, que abriu 627.898 postos.REGIÕESNo corte por região, o Sudeste liderou as contratações em novembro, com a abertura de 64.703 empregos. Em São Paulo, foram criados 30.277 vagas no mês, recorde para meses de novembro.A região Sul aparece em segundo lugar, com a criação de 42.738 empregos no mês passado. No Nordeste, foram gerados 17.437 empregos e no Norte, 8.188. O Centro-Oeste foi a única região a ter redução de vagas (-8.512), por causa de fatores sazonais do agronegócio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.