Reprodução
Reprodução

Criadores do Uber são processados por plágio na Califórnia

Homem diz que sua ideia foi roubada por empresa que criou aplicativo de carona

Reuters

18 Maio 2015 | 12h55

Um morador da Califórnia abriu processo contra a Uber Technologies e seu presidente-executivo, Travis Kalanick, afirmando que sua ideia, que envolve em um serviço de transporte baseado em celulares, foi roubada.

Kevin Halpern processou a Uber, Kalanick e vários investidores iniciais da companhia acusando-os de apropriação indevida de segredos comerciais e quebra de contrato. A queixa afirma que Halpern sofreu danos de mais de US$ 1 bilhão..

A Uber, empresa que conecta motoristas profissionais a usuários de seu aplicativo, foi avaliada como valendo US$ 40 bilhões na última rodada de investimento, considerou o processo como "completamente sem fundamento" e disse que vai se defender.

Halpern fundou uma companhia chamada Celluride Wireless em 2003, seis anos antes do Uber ser criado. Em um vídeo no YouTube, Halpern afirma que "Kalanick criou uma réplica exata da Celluride e a chamou de Uber".

Halpern, criado em Nova York, afirma no vídeo que percebeu a dificuldade de se conseguir táxis e queria criar uma forma para conectar motoristas e passageiros por meio de celulares e tecnologia de posicionamento por satélite.

Segundo a queixa, ele registrou a Celluride em 2003 e desenvolveu um protótipo de celular em 2006. Neste ano, afirma o processo, ele se encontrou com Kalanick em um escritório que Kalanick estava alugando de um amigo em São Francisco.

Halpern afirma no processo que as promessas de Kalanick eram de manter a informação confidencial para que ele compartilhasse o conceito, projetos e protótipo.

Mais conteúdo sobre:
Uberaplicativo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.