Crise argentina faz Repsol YPF reduzir investimentos

O grupo petrolífero Repsol YPF pretende reduzir os seus investimentos neste ano por causa da crise argentina. Segundo o jornal espanhol La Gaceta de los Negocios, o presidente da empresa, Alfonso Cortina, disse que está elaborando um plano de redução de investimentos para 2002 para contrabalançar os problemas na Argentina. Esse plano será revisado em meados deste ano, quando se tiver uma noção mais exata da situação na Argentina. Segundo Cortina, a redução de investimentos faz parte de uma estratégia que também prevê o corte de gastos, o reforço dos recursos próprios e redução substancial do nível de endividamento do grupo. Cortina afirmou que o impacto da crise argentina sobre os lucros da Repsol YPF somente poderá ser determinado quando "existirem regras claras do jogo" naquele país. Segundo ele, nem todos os ativos da empresa serão afetados pela desvalorização do peso pois as atividades de exploração, produção, refino, comercialização e outras destinadas à exportação estão dolarizadas ou denominadas em euro. O executivo indicou também que o imposto sobre exportações de petróleo e derivados anunciado pelo presidente Eduardo Duhalde poderá ser substituído pelo pagamento de um montante financeiro ao governo argentino. Segundo ele, o assunto está sendo estudado e esse aporte, que seria realizado pelas empresas do grupo que operam no país, ocorreria de uma só vez e cobriria os recursos previstos com a arrecadação do imposto.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.