Crise aumentou com renovação das concessões

Com queda no valor das tarifas, receitas ficaram abaixo dos custos

Renée Pereira, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2017 | 05h00

De 2013 a 2015, a Eletrobrás registrou mais de R$ 20 bilhões de prejuízo. Os problemas começaram depois do processo de renovação das concessões das estatais. “Houve uma redução de 65% nas tarifas que, no total, significou um sobrecusto de 30% na empresa. Ou seja, a receita ficou abaixo do custo”, explica o presidente da Eletrobrás, Wilson Ferreira Júnior.

Ao mesmo tempo, a estatal dava andamento ao maior programa de investimentos – resultado de uma fase em que o grupo disputava tudo no mercado a qualquer custo. “Mas, nesse processo, houve atraso no financiamento e a empresa teve de recorrer ao mercado.” Segundo o executivo, o custo médio dos principais empréstimos da empresa está entre 8% e 9% ao ano. Mas, nesse período, teve de pegar dinheiro com taxas entre 18% e 19% ao ano. “É uma dívida, em torno de R$ 6 bilhões, que temos de eliminar.”

Tudo o que sabemos sobre:
Eletrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.