ANDRÉ DUSEK | ESTADÃO
ANDRÉ DUSEK | ESTADÃO

Crise faz crédito recuar pela 1ª vez desde 2007

Estoque total de empréstimos caiu 3,5% no ano passado e registrou retração maior do que a projetada pelo Banco Central

O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2017 | 10h57

O estoque total de crédito no Brasil caiu 3,5% em 2016, a R$ 3,107 trilhões, pior resultado anual e o primeiro no vermelho na série histórica para saldos iniciada pelo Banco Central em março de 2007, divulgou a autoridade monetária nesta quinta-feira. Com isso, passou a representar 49,3% do Produto Interno Bruto (PIB).

A retração é maior do que a esperada pelo próprio BC, que previa recuo de 3%. De acordo com a instituição, a queda neste ano é consequência direta da crise econômica e das condições mais restritivas para famílias e empresas. Em 2015, apesar da crise, o crédito ainda cresceu 6,69%.

A taxa de inadimplência no crédito livre ficou em 5,7% em dezembro, ante 5,8% em novembro. Em dezembro de 2015, a taxa estava em 5,3%. Para pessoa física, a taxa de inadimplência ficou em 6,0% em dezembro, ante 6,1% em novembro e 6,2% em dezembro de 2015. Para as empresas, ficou em 5,2%, ante 5,4% do mês anterior e 4,5% de um ano antes. 

A inadimplência do crédito direcionado caiu de 1,9% em novembro para 1,8% em dezembro. O dado que considera crédito livre mais direcionado mostra inadimplência de 3,7% em dezembro, ante 3,8% em novembro. Um ano antes, a taxa estava em 3,4%.

No cheque especial, o volume de calotes atingiu 17,4% em dezembro, ante 15,3% em novembro. No último mês de 2015, estava em 18,1%.

No caso de aquisição de veículos, o volume de calotes atingiu 4,6% em dezembro, ante 4,7% em novembro. Em dezembro de 2015, estava em 4,2%. Já no cartão de crédito, ficou em 7,7%, ante 7,8% de novembro e 8,1% de dezembro de 2015. 

(AGÊNCIA ESTADO COM REUTERS)

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilBanco CentralPib

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.