Crise financeira segue em cena e bolsas da Ásia caem

As principais bolsas asiáticastiveram uma terça-feira de queda, com o custo de seguro contradívidas subindo no dia depois que problemas no setor financeironorte-americano, incluindo a nona quebra de um banco,destacaram a vulnerabilidade econômica global. Às 7h31 (horário de Brasília), o índice MSCI da ÁsiaPacífico exceto Japão recuava 1,17 por cento, para 383 pontos. O Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu sua previsãopara crescimento global, por conta da fraqueza econômica nazona do euro. Os desdobramentos da crise de crédito se ampliaram depoisque o Columbian Bank and Trust faliu no fim da semana passada.Além disso, o banco central dinamarquês precisou amparar umadas instituições financeiras do país, aumentando o desconfortona Ásia sobre potencial efeito dominó. Enquanto isso o órgão regulador da Coréia do Sul alertou oestatal Korea Development Bank sobre a compra de uma empresaestrangeira. Na sexta-feira o banco afirmou que estava abertopara comprar instituições financeiras em outros continentes,citando o Lehman Brothers como opção. "As preocupações sobre os riscos de crédito tanto nosEstados Unidos como no Japão ainda são fortes. Há tambémtemores sobre a perspectiva econômica global", afirmou YukioTakahashi, analista de mercado na Shinko Securities, em Tóquio. O índice Nikkei da bolsa japonesa perdeu 0,78 por cento,para 12.778 pontos. Em Xangai o mercado despencou 2,62 por cento e se mantevecomo o mercado de pior desempenho no mundo, acumulando perda de53 por cento no ano. Na Coréia do Sul o principal índice fechou em baixa de 0,79por cento, em 1.490 pontos. O mercado australiano encerrou com leve desvalorização de0,15 por cento, aos 5.007 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.