Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Crise já atravessa o Canal de Suez e o Canal do Panamá

Duas das principais artérias do comércio mundial já sentem a queda no fluxo de bens. No Canal do Panamá ou no Canal de Suez, no Egito, o número de embarcações sofre uma das piores reduções. As autoridades já pensam em aumentar o pedágio para evitar que a renda dos países também despenque. No Egito, as autoridades do Canal de Suez revelaram que o número de contêineres atravessando a região já equivale aos índices de cinco anos atrás. Em janeiro, o número de barcos foi de 1,3 mil em Suez, 22% a menos que em 2007. A renda produzida pelo canal caiu 19,5%. Em toneladas, a queda foi ainda maior, de 74 milhões de toneladas para 57 milhões em um ano. A redução é a pior em 30 anos na rota entre a Ásia e a Europa, criada em 1869.Já no Panamá, a previsão é de uma queda de 5% no fluxo de barcos entre os oceanos Atlântico e Pacífico. A crise chega no momento em que o país abre licitação para a ampliar o canal em 80 quilômetros, numa obra que custaria US$ 5,2 bilhões. E a queda pode ser ainda maior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.