André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Crise na Petrobrás afeta trabalhador de empresa contratada, dizem sindicalistas a Dilma

Funcionários de empresas contratadas pela estatal começaram a não receber salários, segundo representantes de centrais sindicais

Leonardo Goy, Reuters

08 Dezembro 2014 | 20h45

Representantes de centrais sindicais manifestaram nesta segunda-feira à presidente Dilma Rousseff sua preocupação com a situação dos trabalhadores de empresas contratadas pela Petrobrás, que, segundo eles, começam a ser afetados pelas acusações de corrupção envolvendo a estatal.

Segundo o presidente da Força Sindical, Miguel Torres, algumas empresas contratadas pela Petrobrás para realizar obras começaram a não pagar salários de seus funcionários.

"Essa crise da Petrobrás está chegando agora nos assalariados. Essa é uma grande preocupação que hoje está ainda localizada no Recife, no Rio Grande do Sul e parece que também no Rio de Janeiro”, disse Torres.

Segundo o dirigente sindical, a ideia é, por exemplo, evitar que haja paralisações de obras e demissões. “O que nós temos, primeiro, é de garantir os direitos dos trabalhadores”, disse ele, afirmando que, no Recife há cerca de 5 mil trabalhadores sem salário há dois meses.

Torres disse que os sindicalistas sugeriram a Dilma que a Petrobrás faça os pagamentos referentes aos salários e indenizações à Justiça do Trabalho, e não diretamente às empreiteiras contratadas.

A Petrobrás está no centro de um escândalo de corrupção oriundo de denúncias que vieram à tona com a Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

O ex-diretor da empresa Paulo Roberto Costa disse, em acordo de delação premiada, que construtoras faziam cartéis em licitações da Petrobrás e pagavam propinas a diretores da estatal.

Mais conteúdo sobre:
POLITICAPETROBRASSINDICALISTAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.