Crise não deve afetar PAC, diz Miriam

Segundo a ministra do Planejamento, orçamento do programa continua 'blindado' em 2012 'e terá ainda mais importância neste cenário adverso'

Eduardo Rodrigues e Renato Rodrigues, da Agência Estado,

22 de novembro de 2011 | 13h45

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse hoje que a crise externa preocupa a presidente Dilma Rousseff, mas que o orçamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e a execução das obras não devem ser afetados. Segundo a ministra, Dilma tem dado bastante atenção ao tema, tanto que recebe diariamente dois relatos sobre a situação mundial.

Porém, acrescentou, o orçamento do PAC continua "blindado" em 2012 "e terá ainda mais importância neste cenário adverso". Miriam disse ainda que a única limitação que o PAC está tendo é a não inclusão de novos projetos. "Grande parte do que estamos preparando no PAC começará de fato em 2012. Isso aliado às diversas ações do governo nos possibilitará condições de sustentar uma situação diferente da dos EUA e da Europa no próximo ano", declarou a ministra.

Miriam disse ainda que a queda nos investimentos do governo deve-se ao início de um novo governo. Segundo ela, a mudança de equipes e de ministros levou à revisão dos projetos. A ministra destacou que apesar dos cortes no orçamento deste ano, os investimentos foram mantidos.

Belchior ressaltou que esta queda ocorreu nos investimentos gerais, mas que no PAC os pagamentos deste ano já superam em 22% os desembolsos em 2010. "Nós estamos num novo ciclo do PAC mesmo com metade dos empreendimentos em fase preparatória", afirmou a ministra. Segundo ela, o governo está dando os passos necessários para dar conta dos desafios que o setor de infraestrutura coloca para que o País possa continuar crescendo.

Tudo o que sabemos sobre:
PACbalançocrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.