Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Crise não está resolvida de forma alguma, diz vice-ministro da Itália

Político afirmou que uma reunião do gabinete do governo, nesta sexta-feira, vai tratar de questões de política fiscal, mas reformas no imposto de renda não serão discutidas

Renan Carreira, da Agência Estado,

22 de março de 2012 | 12h01

A crise da dívida europeia e italiana "não está resolvida de forma alguma", apesar de as condições terem melhorado desde dezembro, disse nesta quinta-feira o vice-ministro de Economia da Itália, Vittorio Grilli. Ele afirmou que uma reunião do gabinete do governo, nesta sexta-feira, vai tratar de questões de política fiscal, mas reformas no imposto de renda não serão discutidas. "Precisamos, de forma contínua, tranquilizar os mercados com ações e intervenções."

Para a Itália, isso significa reformas para impulsionar a taxa de crescimento econômico, a fim de que os investidores fiquem mais confiantes de que o país vai pagar a dívida do governo, disse ele. Grilli afirmou que não tem dúvidas de que a Itália vai apresentar um orçamento equilibrado em 2013, anos antes de outros países da zona do euro. "É uma realidade, não uma esperança."

A Itália também vai introduzir uma regra de orçamento equilibrado na Constituição na primavera (Hemisfério Norte), disse ele. As metas fiscais do país incluem fortes aumentos de impostos e alguns cortes nos gastos públicos, com o objetivo de equilibrar as contas públicas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliacriseeuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.