Crise no Brasil é oportunidade para mudanças, diz pesquisadora

Mary Paula Arends-Kuenning afirma que as pessoas ficam mais dispostas a fazer mudanças quando algo não vai bem

O Estado de S. Paulo

17 de março de 2016 | 13h17

A professora Mary Paula Arends-Kuenning, PhD em Economia pela Universidade de Michigan, acredita que a crise pela qual o Brasil passa gera oportunidade de mudanças. Para ela, crises são momentos de avaliar o que está funcionando e o que não está. O resultado é que, depois desse balanço, as pessoas estão mais dispostas a fazer mudanças.

Mary Paula cita o momento demográfico atual do Brasil como uma 'janela de oportunidade' para que a crise não atrase o avanço da educação. "O Brasil está numa época muito boa, demograficamente falando, já que a população vem encolhendo e os índices de fertilidade caíram. A razão entre crianças e adultos em idade de trabalho é baixa. Isso significa que há mais recursos por criança", explica Mary Paula.

A entrevista foi gravada durante o Lemann Dialogue, uma conferência que reúne alunos bolsistas da Fundação Lemann das Universidades de Columbia, Harvard, Illinois e Stanford.

O conteúdo integra a plataforma UM BRASIL, idealizada pela FecomercioSP, que nesta série conta com a parceria do Columbia Global Center no Rio de Janeiro e do Lemann Center for Brazilian Studies da Universidade Columbia.

As gravações aconteceram em Nova York, entre os dias 16 e 20 de novembro de 2015. Confira a íntegra da entrevista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.