Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Crise nos EUA derruba fabricantes de autopeças

Duas indústrias americanas de autopeças entraram com pedido de concordata ontem, a Visteon e a Metaldyne. A Visteon, que até 2000 pertencia à Ford, afirmou que a queda global na venda de veículos e consequente redução na receita a forçaram a adotar a medida.Segundo comunicado da empresa, a Visteon América do Sul, que engloba três fábricas no Brasil e três na Argentina, assim como outras filiais fora dos Estados Unidos, estão fora do processo.A empresa declarou ter US$ 4,58 bilhões em ativos e passivo de US$ 5,32 bilhões, incluindo dívida de US$ 862 milhões em títulos. A Ford dará um empréstimo para a empresa durante a concordata. "Vamos tentar mudar nossa estrutura de capital e de custos, que não são sustentáveis no atual cenário econômico", disse o presidente da Visteon, Donald Stebbins.As vendas das montadoras americanas caíram 37% neste ano, e as da Ford, maior cliente da Visteon, recuaram 40%. A maior cliente da Metaldyne era a Chrysler, que está em concordata e paralisou a produção em abril. Em 2008, mais de 40 autopeças entraram em concordata. Neste ano, são sete.A Visteon produz sistemas de iluminação e eletrônicos, ar-condicionado e interior de veículos. Teve prejuízo de US$ 328 milhões no último trimestre de 2008. A empresa vai eliminar 800 postos nos EUA. No mundo todo, emprega 31 mil pessoas, 2,5 mil delas na América do Sul. A Delphi, que já pertenceu à GM, está em concordata desde 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.