Crise política derruba confiança do consumidor para menor nível em 1 ano

A confiança do consumidor na condução da economia sofreu uma queda de 5,4% em agosto, na comparação com o mês de julho. Com isso, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC), medido na região metropolitana de São Paulo (RMSP) pela Federação do Comércio (Fecomercio), atingiu 126,1 pontos numa escala de zero a 200 pontos. Trata-se do menor nível de confiança dos consumidores em um ano.A queda, de acordo com a assessoria econômica da Fecomercio, está ligada mais às preocupações dos consumidores com relação ao futuro em decorrência da crise política do que pelo presente. Na visão dos entrevistados, ao que parece, o imbróglio político tende ainda a novos desdobramentos imprevisíveis."Assim, ainda que as informações da pesquisa tenham sido coletadas na semana anterior ao depoimento do publicitário Duda Mendonça e às denúncias apresentadas pelo deputado Valdemar Costa Neto, envolvendo o presidente da República, os resultados desse mês do ICC já mostram de forma clara o impacto negativo que o agravamento do cenário político provocou na confiança dos consumidores paulistanos", afirmam os analistas da Fecomercio.Esse quadro, de acordo com os economistas da entidade, reflete a preocupação em relação ao futuro de médio e longo prazos, evidenciando apreensão generalizada com o desenrolar da crise e, principalmente, com as conseqüências econômicas que esse processo pode trazer à vida das famílias e ao País de modo geral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.