Crise prejudica commodities

Análise

Gerson Freitas Jr., O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2010 | 00h00

As preocupações com os problemas fiscais europeus derrubaram os preços das commodities ontem. O índice Reuters-Jefferies CRB, que acompanha uma cesta composta por contratos de energia, metais e produtos agrícolas, fechou o dia em queda de 1,87%, com 273,18 pontos.

Os mercados cederam depois que a agência de classificação de risco Standard & Poor''s rebaixou as notas de crédito soberano de Portugal e Grécia. A notícia fez com que especuladores fugissem de ativos de risco, como ações, commodities e divisas de países emergentes, e buscassem liquidez em dólar.

A valorização da moeda americana, decorrente dessa aversão ao risco, exerce um efeito negativo sobre o preço das matérias-primas, já que diminui o poder de compra de empresas e investidores estrangeiros.

Produto com maior peso nas cestas de commodities, o petróleo negociado em Nova York caiu 2,1%, para US$ 82,44 por barril. O cobre, um produto particularmente sensível às oscilações econômicas, caiu 4,66%, para US$ 3,3825 por bushel.

Os mercados agrícolas também registraram perdas expressivas. Em Nova York, o açúcar para entrega em julho caiu 3,03%, negociado a 15,37 centavos de dólar por libra-peso - menor valor de fechamento em 11 meses. Em Chicago, os contratos de soja para julho fecharam a US$ 9,93 por bushel, com desvalorização de 1,59%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.