Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Crise só afetará arrecadação a partir de janeiro, diz Receita

Após recorde de R$ 65 bi em outubro, governo pretende cumprir metas para novembro e dezembro

Fabio Graner e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

19 de novembro de 2008 | 15h39

O secretário-adjunto da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, afirmou nesta quarta-feira, 19, que a crise só começará a ter impacto na arrecadação federal a partir de janeiro de 2009. Segundo ele, ainda não há indicação de que a crise tenha afetado a arrecadação. A arrecadação de impostos e contribuições federais somou em outubro R$ 65,493 bilhões. O valor é recorde para meses de outubro.   Veja também:  Arrecadação soma R$ 65 bi em outubro e bate recorde   "A crise demanda certo intervalo de tempo para ter efeito", afirmou Cartaxo, que destacou ainda que a Receita prevê cumprir as metas de arrecadação para novembro e dezembro, assim como o fez em outubro. Ele também ressaltou que desde maio o crescimento acumulado da arrecadação federal tem oscilado entre 9% e 10% em termos reais.   A arrecadação de outubro é 17,13% superior em termos reais ao volume registrado em setembro e 12,36% maior do que o verificado em outubro de 2007. O resultado superou o teto das previsões dos analistas consultados pela Agência Estado (R$ 62,1 bilhões) e foi influenciado pelo recolhimento de royalties relativos à extração do petróleo.

Tudo o que sabemos sobre:
Receita Federalimpostocrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.