finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Crise social não se resolve com milagre, diz Conselho de Lula

Diferentemente dos últimos encontros com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os integrantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) foram hoje mais contidos na avaliação da política econômica do governo. Numa carta de cinco páginas entregue ao presidente no fim da reunião, os conselheiros reconhecem que "não há saídas fáceis" nem existem "soluções miraculosas" para resolver, de um dia para outro, os problemas sociais.A carta destaca programas do governo nas áreas agrícola e de microcrédito e a redução das taxas de juros, sugestão feita pelos conselheiros em encontros anteriores. "O crescimento (econômico) reduz as tensões políticas, eleva a arrecadação pública e permite a continuidade das reformas estruturais num ambiente de otimismo e diálogo público", diz a carta.Os conselheiros observam, no entanto, que os indicadores sociais e econômicos continuam preocupantes, pois apontam para um aumento das diferenças entre incluídos e excluídos e um aumento nos índices de violência nas cidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.