Crise torna investidor mais ativo

Em busca de oportunidades de curto prazo, pequeno acionista faz mais negócios. Em agosto, volume foi recorde

Yolanda Fordelone, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2009 | 00h00

A crise levou milhares de pequenos investidores a abandonar a Bolsa de Valores de São Paulo. Mas os que resistiram à volatilidade não só aumentaram o investimento em ações como fecharam um número maior de negócios. "Em um primeiro momento, houve queda do número de operações por cliente, mas a média subiu em 2009", afirma o responsável pelo home broker da corretora Spinelli, Rodrigo Puga.

A mudança de comportamento foi motivada pela volatilidade de preços das ações, que trouxe oportunidades de negócios, embora com maior risco. No auge da crise, em setembro de 2008, o Ibovespa teve variação média de 3.500 pontos em um único dia, entre as pontuações mínimas e máximas. "Mesmo com oscilação menor (em média, 1 mil pontos em agosto deste ano), o investidor que continuou na Bolsa, se acostumou a fazer mais negócios", diz o gerente comercial da Ágora, Hélio Pio.

Segundo especialistas, o pequeno investidor mantém a perspectiva de longo prazo, mas adotou a estratégia de rever a composição da carteira de ações com maior frequência para recuperar as perdas do ano passado. Em agosto, em comparação com o mesmo mês de 2008, o número de acionistas com ofertas no home broker cresceu 40%. Aumentou também o volume negociado, que saltou de uma média mensal de R$ 27,5 bilhões em 2008 para o recorde de R$ 42,5 bilhões no mês passado.

Um desses acionistas é o analista de sistemas Fernando Líbio Leite Almeida, 29 anos, que, antes da crise, fazia apenas dois negócios a cada trimestre. Desde o ano passado, passou a fechar até 30 operações ao mês. Com esse giro veloz, ele dobrou o patrimônio em ações.

Interpretada como um amadurecimento dos acionistas, essa nova estratégia se reflete em busca de conhecimento e informações. "Nos chats das corretoras, as perguntas são melhor formuladas. Nas operações alavancadas, por exemplo, o investidor está mais consciente. Antes, especulavam com qualquer ação", diz o analista-chefe da XP Investimentos, Rossano Oltramari.

ENTENDA

Home broker - Plataforma on line que permite a investidores negociar ações e opções pela internet. Atualmente, o sistema é oferecido por 68 corretoras.

Operações alavancadas - Estratégia na qual o investidor aposta uma quantia maior do que possui. O risco é a possibilidade de perda superior ao do patrimônio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.