Cristina defende ingresso da Venezuela no Mercosul

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, que assumiu hoje a presidência pro tempore do Mercosul, afirmou que durante o primeiro semestre de 2008 espera incorporar a Venezuela ao bloco do Cone Sul. Segundo ela, a presença venezuelana no Mercosul permitirá configurar "o fechamento da equação energética". Cristina também ressaltou que existem países na vizinhança do Mercosul que "não encaram como positivo que os vizinhos se unam". Segundo ela, existem ações "que pretendem nos dividir, separar"."Existem aqueles que querem países empregados e subordinados", disse, para depois arrematar em tom de desafio: "não vão nos dobrar". A frase foi interpretada como alusão direta aos EUA já que o governo de Cristina acusou a administração Bush de estar por trás das denúncias realizadas pelo FBI e a Justiça Federal de Miami de que ela recebeu dinheiro do presidente venezuelano Hugo Chávez para sua campanha eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.