Cristina e agricultores tentam retomar diálogo

Após um fim de semana de idas e vindas, troca de acusações e tentativas de conciliação, o governo da presidente Cristina Kirchner e as lideranças das quatro associações de produtores agropecuários vislumbravam hoje à noite a possibilidade de retomar o diálogo nesta segunda-feira. O Governo e os agricultores estão em pé de guerra desde o início de março, quando a presidente Cristina decretou o aumento dos impostos sobre as exportações agrícolas, medida que levou os produtores à realização de uma greve sem precedentes no setor. Em revide, há 18 dias os agricultores argentinos realizam uma greve - que inclui piquetes nas estradas - que além de provocar o desabastecimento de alimentos, constituiu-se no maior desafio que um setor econômico declarou ao denominado "casal presidencial" (a presidente Cristina e o ex-presidente Néstor Kirchner, que governam o país desde 2003). Os produtores exigem a suspensão dos aumentos dos impostos. Mas, o governo recusa-se a discutir o fim das altas aplicadas aos tributos. No entanto, ontem no fim da noite, o governo acenou com o anúncio, a ser realizado hoje, de um pacote de medidas para beneficiar pequenos produtores agrícolas. O chefe do Gabinete de Ministros, Alberto Fernández, afirmou ontem que nesta segunda-feira o governo pretende "continuar conversando" com as lideranças agropecuárias. Mas, Fernández destacou que a greve dos agricultores e os piquetes que realizam nas estradas, "são um obstáculo para o diálogo". Idas e vindas - Na sexta-feira, as quatro associações do setor haviam decidido suspender a paralisação para iniciar negociações com o governo. Mas, menos de 24 horas depois, sem vislumbrar avanços nas reuniões com os ministros - e diante do que denominaram de "intransigência" da presidente Cristina - os produtores determinaram o retorno à paralisação de atividades. No sábado retomaram os piquetes, que impediram a passagem de caminhões com produtos agrícolas, entre elas, a Estrada Nacional Número 14, por onde passa o maior volume das mercadorias transportadas entre o Brasil e a Argentina. Ontem, o Ministro do Interior, Florencio Randazzo, emitiu um comunicado no qual lamentava os piquetes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.