carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Cristina Kirchner busca alternativa a Chávez

O governo da presidente Cristina Kirchner estaria buscando alternativas de financiamento externo paralelas à costumeira compra de títulos da dívida pública argentina realizada pelo governo do presidente Hugo Chávez. A informação, extra-oficial, foi publicada ontem pelo jornal portenho Clarín, que indicou que o plano do governo é negociar a emissão de um bônus em pesos que conte com o respaldo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) ou do Banco Mundial. Perante o BID, o governo utilizaria o argumento de que a Argentina, ao longo dos últimos cinco anos pagou mais aos organismos financeiros do que recebeu créditos. A idéia não é desprender-se totalmente da ajuda financeira de Chávez, mas, sim, reduzir a dependência que o governo possui do líder venezuelano. Desde maio de 2005, quando o governo do então presidente Néstor Kirchner - marido da atual presidente - concluiu o polêmico processo de reestruturação da dívida pública com os credores privados, o governo Chávez foi praticamente o único comprador estrangeiro dos bônus da Argentina, país que tornou-se pária dos mercados internacionais desde o calote de 2001. Desde 2005, Chávez adquiriu US$ 9,2 bilhões em títulos argentinos. Mas, há poucas semanas, a aliança financeira com Chávez passou por uma zona de turbulência, quando o governo venezuelano adquiriu US$ 1 bilhão em bônus argentinos - com uma taxa recorde desde 2001 de quase 15% - e os vendeu dois dias depois inesperadamente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

25 de agosto de 2008 | 08h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.