Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Cristina Kirchner já enfrenta polêmica sobre inflação

A presidente eleita Cristina Fernández de Kirchner ainda não tomou posse mas já está envolvida na polêmica sobre o índice oficial da inflação, elaborado pelo Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (Indec). Hoje o órgão - que desde janeiro está sob intervenção do governo de seu marido, o presidente Néstor Kirchner - anunciará o índice de outubro. Dados preliminares do Indec indicam que a inflação do mês passado seria de 0,8%. Dessa forma, a inflação oficial acumulada desde o início do ano seria de 6,7%. Mas economistas independentes, consultorias financeiras e empresários sustentam que a inflação ?real? é superior a 1,5%, podendo chegar a 1,6%. Com esse cálculo, o acumulado ?real? seria de mais de 16%. A escalada da inflação e o descrédito no cálculo oficial são algumas das incômodas heranças que Cristina Kirchner receberá do marido. Após a eleição, no dia 28 de outubro, a expectativa era que a manipulação do governo fosse mais amena, iniciando uma nova fase com a vitória da primeira-dama. No entanto, os analistas afirmam que tudo indica que a transição de Kirchner para o governo de sua esposa manteria a estratégia de anunciar índices inflacionários oficiais baixos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

06 de novembro de 2007 | 11h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.