Crítica dos EUA ao Brasil é 'descabida', diz Patriota

O ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, classificou de "descabida" e "incongruente" a carta do representante de Comércio dos Estados Unidos, Ron Kirk, com críticas à política brasileira de elevação de tarifas de importação de alguns produtos. Em uma entrevista nesta sexta-feira, o chanceler repetiu o que já havia sido dito na quinta (20), por meio de seu porta-voz: o governo brasileiro considera a carta injustificada tanto no conteúdo quanto na forma.

LISANDRA PARAGUASSU, Agencia Estado

21 de setembro de 2012 | 13h57

"Acho que a resposta que foi transmitida ontem mesmo mostra como é descabida e incongruente a carta, porque se tem um país que tem se beneficiado da ampliação do mercado brasileiro foi os Estados Unidos. E as medidas adotadas pelo Brasil, como aliás foi reconhecido pelo representante americano, está dentro da legalidade da OMC (Organização Mundial do Comércio), afirmou Patriota. "Juntando essas duas circunstâncias, consideramos que é necessário buscar outras maneiras de se desenvolver uma relação comercial equilibrada e mutuamente benéfica. Esse tipo de manifestação não é construtiva."

Perguntado se a mais recente crise com os Estados Unidos poderia mudar a agenda da presidente Dilma Rousseff nos Estados Unidos, para onde ela embarca domingo para participar da abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas, Patriota afirmou que não há previsão de encontros entre Dilma e o presidente americano, Barack Obama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.