CRT: para Sudameris troca é melhor opção

No atual cenário de consolidação das operadoras de telefonia celular, a melhor opção para os acionistas minoritários da Celular CRT é aceitar a oferta pública de aquisição dos papéis anunciada ontem pela Telefónica Móviles, avaliou Eduardo Hajime, analista de investimentos em telecomunicações da Sudameris Corretora. "Se o mercado não estivesse se consolidando, a opção seria outra, mas neste cenário é melhor fazer a troca", observou. A companhia anunciou ontem sua intenção de adquirir as ações de Celular CRT em troca de BDRs ou ADRs representativos de ações da Telefónica Móviles. A operação envolvendo Celular CRT poderá ser realizada em menor tempo em comparação à troca por BDRs feita com ações da Telesp, que demorou cerca de cinco meses no ano passado, estimou Hajime. Na época, comentou o analista, o mercado brasileiro não tinha precedentes de operações semelhantes deste porte. A experiência adquirida pode, portanto, contribuir para acelerar o andamento do processo. Com a oferta, a intenção claramente indicada pela companhia, avaliou Hajime, é de fechar o capital da Celular CRT. "Isso dá mais mobilidade para a empresa, que pode estabelecer uma relação única de atendimento ao mercado", afirmou Hajime. Se a oferta não tiver adesão total, a Telefônica ficaria obrigada a manter todas as informações no mercado brasileiro, acrescentou o analista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.