CSN abre plano de demissão incentivada

Temendo uma demissão em massa naCompanhia Siderúrgica Nacional (CSN), em razão da possível fusãocom a anglo-holandesa Corus, o Sindicato dos Metalúrgicos deVolta Redonda e Região negociou com a companhia um Plano deDemissão Incentivada (PDI) para os empregados de Volta Redonda(RJ) e de Casa de Pedra (MG). O programa é resultado de ampla discussão entre adiretoria da empresa e o sindicato. A expectativa é que hajaadesão de até 700 empregados. A siderúrgica, no entanto, negouque pretendia fazer uma demissão em massa, mas explicou que jávinha estudando um plano de demissão voluntária há algum tempo.De acordo com o sindicato, os metalúrgicos procuraram a empresapor terem recebido informações de que a CSN pretendia fazer umcorte de até 10% do seu pessoal, o equivalente a 900 pessoas. "Realizamos uma plenária na segunda-feira para discutiro assunto com os metalúrgicos, que acabou decidindo pelaelaboração de um plano de demissão voluntária e facilidades paraempregados que estivessem em vias de se aposentar, proposta quefoi aceita pela CSN", diz o presidente do sindicato, CarlosPerrut. A expectativa é de que o programa tenha a adesão de umnúmero entre 600 e 700 funcionários. "Não vamos aceitardemissões fora do programa", declarou Perrut. O sindicalistaafirmou ainda que caso novas demissões aconteçam, osmetalúrgicos serão convocados para uma greve. De acordo com a CSN, o PDI receberá adesões até 16 desetembro, período em que a diretoria de recursos humanos daempresa organizará equipes para informar todos os detalhes doplano. Serão distribuídas cartilhas com as explicações e ostrabalhadores terão à disposição pessoal habilitado a fazercálculo das verbas de rescisão e também do pacote de benefíciosdo programa. A siderúrgica informou que além de todos os direitoslegais - aviso prévio indenizado, PLR proporcional aos mesestrabalhados, FGTS, multa de 40% sobre o FGTS, 13º salárioproporcional e férias vencidas proporcionais, conforme o caso -todos os empregados que optarem pelo PDI também receberão umpacote de benefícios. O pacote é composto de abono extraordinário, em dinheiro equivalente a 0,2 salário por ano trabalhado na CSN (mínimo de0,6 e máximo de 2 salários); extensão do plano de saúde por 3meses, para o trabalhador e seus dependentes; além de assessoriapara a transição, através de empresa especializada, com duraçãode 6 meses, composta de seminário de atualização, orientaçãopsicológica e profissional, divulgação do profissional nomercado e assessoria de requalificação, entre outros itens. Os empregados que optarem pelo PDI serão desligados ematé 30 dias, a partir da data da opção. Os empregados queeventualmente forem desligados sem se enquadrarem nos casosacima também terão direito ao mesmo pacote de benefícios. "OPDI representa um esforço da empresa para realizar os ajustesnecessários da maneira mais justa possível", informa aempresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.