coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

CTEEP investirá R$ 600 milhões nos próximos 4 anos

A Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) planeja investir nos próximos quatro anos R$ 600 milhões na ampliação e no reforço de sua malha de transmissão de energia, de acordo com o presidente da companhia, José Sidnei Martini. A empresa inicia, neste momento, as obras de construção de uma linha de transmissão entre as subestações de Botucatu e Chavantes, com investimentos de R$ 31 milhões, e de outro trecho entre Tijuco Preto e Baixada Santista, orçado em R$ 17 milhões. "Faremos esses investimentos com recursos próprios", afirmou Martini. A empresa aguarda uma decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre a construção de uma linha entre as subestações Guarulhos e Anhangüera, que deverá consumir investimentos de R$ 180 milhões. O projeto está sendo analisado pela agência reguladora do setor elétrico porque, segundo Martini, "parte da competência sobre a subestação Anhangüera é da CTEEP e parte é da Eletropaulo". Ele acrescentou que a obra é essencial para desafogar o sistema que atende a Grande São Paulo.De acordo com o presidente da CTEEP, a estratégia de crescimento da empresa, que detém uma malha de transmissão composta por 11 mil quilômetros de linhas e 99 subestações transformadoras, é centrar investimentos em projetos localizados exclusivamente em território paulista. "Isso permite o aproveitamento da infra-estrutura já existente", explicou. Instalada entre as regiões Sul e Sudeste, a CTEEP desfruta de um posicionamento no sistema elétrico interligado que a favorece bastante, já que permite que transporte em sua malha 30% de toda a energia produzida no País.EstratégiaPor conta dessa estratégia, a empresa se prepara para concorrer à licitação, pela Aneel, da construção e operação de uma nova linha de transmissão no Estado, ligando as subestações de Tijuco Preto a Cachoeira Paulista. Este trecho e outras dez linhas de trasmissão serão licitados em leilão previsto para 18 de julho próximo. Martini afirmou que a empresa poderá concorrer a este e outros trechos, no futuro, por meio de consórcios, nos quais poderá atuar como operadora e responsável pela manutenção das linhas. Com a energização dos novos projetos, a CTEEP espera obter nesse ano resultados melhores que os obtidos no ano passado, de acordo com a diretora financeira e de relações com investidores da empresa, Sandra Piccardi. A CTEEP apurou, em 2001, lucro de R$ 70,9 milhões, superior em 108,28% ao do ano anterior, graças principalmente à incorporação, pela empresa, da EPTE, a outra transmissora estadual de energia. "O lucro apurado no ano passado foi quase 100% da CTEEP, já que, com a incorporação em novembro da EPTE, o lucro da transmissora incorporada verificado até aquele mês foi incorporado ao patrimônio líquido", explicou a diretora. Segundo os cálculos de Sandra, a EPTE teria lucrado cerca de R$ 30 milhões. Neste ano, a CTEEP, já incorporada a EPTE, registra uma receita anual de R$ 700 milhões, também conforme os cálculos da diretora.Leia mais sobre o setor de Energia no AE Setorial, o serviço da Agência Estado voltado para o segmento empresarial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.