Cuba aprova instalação de empresa mexicana no complexo portuário de Mariel

O governo cubano autorizou uma empresa mexicana a construir uma sede na zona especial de desenvolvimento em torno do porto de Mariel, tornando-se a primeira companhia internacional aval do governo de Cuba para funcionar no local, informaram autoridades do México neste sábado.

AE, Estadão Conteúdo

28 Fevereiro 2015 | 19h41

De acordo com um comunicado do governo mexicano, a autorização para o funcionamento da Richmeat, uma indústria do setor de alimentos, no complexo portuário é resultado do "reatamento das relações entre México e Cuba, que abre espaço para aumentar a presença de empresas mexicanas na ilha".

O projeto da Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel foi lançado em novembro de 2013 e as instalações foram oficialmente inauguradas em janeiro de 2014 pela presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e seu homólogo cubano, Raúl Castro. O governo brasileiro emprestou US$ 802 milhões, por meio do BNDES, para o governo cubano financiar a obra.

De acordo com o regulamento do projeto, a zona dará exonerações fiscais às empresas que se instalarem no local, além do acesso ao porto de Mariel.

Além da construção do porto, a Assembleia do Poder Popular, o parlamento cubano, aprovou em março do ano passado uma nova lei de investimentos estrangeiros.

O governo do presidente Raúl Castro quer atrair capital estrangeiro para dar um impulso à economia da ilha, fortemente afetada pela queda dos preços das commodities, pelo embargo econômico dos EUA e por sua própria baixa produtividade. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
CubaMéxicoMariel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.