Alexandre Meneghini/Reuters
Alexandre Meneghini/Reuters

Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Cuba volta a ter comércio em dólar após 15 anos em busca de moeda forte

Economia estatizada de Cuba está passando por crise de liquidez devido à implosão da economia da aliada Venezuela e ao endurecimento do embargo de décadas dos Estados Unidos

Reuters

29 de outubro de 2019 | 08h23

HAVANA - Uma grande quantidade de cubanos foi a uma dúzia de lojas que abriram em Havana na última segunda-feira, 28, vendendo eletrodomésticos e peças automotivas em dólar, já que o governo, carente de dinheiro, está tendo dificuldade para obter moedas negociáveis para comprar importados e pagar suas dívidas. 

Lavadoras de roupa, geladeiras, freezers, ar-condicionados, TVs, motos elétricas, baterias de carro, pneus e outros produtos estavam com preços bem abaixo dos de semelhantes de outras lojas estatais, quando disponíveis para venda, no equivalente local do dólar, o peso conversível. 

A economia estatizada ineficiente de Cuba está passando por uma crise de liquidez devido à implosão da economia da aliada Venezuela e ao endurecimento do embargo de décadas dos Estados Unidos ordenado pelo presidente norte-americano, Donald Trump

O país depende da importação de combustível, alimentos e outros itens, que precisa comprar com moedas internacionais negociáveis obtidas com a exportação de bens como açúcar e com turismo e assistência técnica – todos em declínio. 

A escassez de tudo, de combustível e alimentos e remédios, está assolando a ilha neste ano. 

Joel Palomino, professor de pedagogia que aluga um quarto de sua casa a turistas, disse que estava esperando em uma fila de uma loja do bairro Vedado desde o amanhecer para comprar um aparelho de ar-condicionado. 

“Os cubanos precisam muito comprar estes produtos a um preço razoável. O governo deveria ter feito isso muito tempo atrás”, opinou Palomino. 

“Os preços são mais baixos do que em pesos conversíveis para os mesmos produtos e melhores do que aqueles que os cubanos trazem do México e do Panamá para vender no mercado paralelo.” 

O dólar circulou livremente ao lado do peso depois que o colapso da antiga benfeitora União Soviética, ocorrido no início dos anos 1990, desencadeou uma crise no país comunista. O dólar foi tirado de circulação em 2004 e substituído pelo peso conversível. 

Duas moedas, o peso e o peso conversível, que está avaliado em 24 pesos, circulam em Cuba. A posse de dólar e de outras moedas negociáveis é legal, mas antes elas não eram consideradas moedas válidas para compras. 

O governo argumenta que o peso conversível é igual ao dólar, mas eletrodomésticos e outros bens importados, quando disponíveis, sofrem grandes remarcações, já que precisam ser adquiridos com moedas negociáveis, enquanto o peso e o peso conversível não têm valor no exterior. 

Tudo o que sabemos sobre:
Cuba [América Central]dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.