Cubatão ganha unidade de pesquisa ambiental

A Baixada Santista, um dos maiores pólos petroquímicos do país, acaba de receber um Centro de Capacitação e Pesquisa em Meio Ambiente, instalado em Cubatão. O empreendimento foi montado pela Petrobras e significa o cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela estatal, o Ministério Público do Meio Ambiente e a Cetesb (agência ambiental paulista). O investimento foi de R$ 12 milhões, mas a estatal ainda está obrigada a manter a estrutura por pelo menos cinco anos.O Centro será administrado pela Universidade de São Paulo (USP) e está obrigado a criar, a partir de agora, tecnologia capaz de evitar ou remediar impactos ambientais provocados tanto pela indústria do petróleo como a de outros setores industriais. A localização do Cepema em Cubatão não ocorre sem razão. O município é protagonista de eventos históricos de descaso na área ambiental. Foi em Cubatão que começaram a surgir muitos casos de crianças nascidas sem cérebro (anencefalia). Também foi no município o episódio do incêndio na Vila Socó, bairro próximo à refinaria da Petrobras.A criação de um centro de pesquisa ocorre no momento em que a Petrobras inicia uma nova fase da atividade petrolífera no País. A estatal anuncia ainda nesta terça-feira o plano de investimento que pretende pôr em marcha para produção gás e petróleo na Bacia de Santos. A expectativa da companhia é a de que a nova bacia petrolífera tenha a mesma relevância que tem hoje a Bacia de Campos, responsável por 80% do petróleo refinado no Brasil.O plano, que será detalhado pelo presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, prevê investimento de US$ 18 bilhões nos próximos dez anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.