Cuidado com os detetives de seguros

As seguradoras estão criando uma indústria de detetives para checar a veracidade das ocorrências. O Procon denuncia a prática e a classifica como abuso, em função da quebra da individualidade das pessoas. Para o técnico de Assuntos Financeiros do Procon, Marcelo Ponce, o assunto está se tornando uma questão criminal e deve ser levado à Justiça.Ponce afirma que o serviço é usado na checagem de contratos que levam em conta o perfil do condutor. Isso porque, ao contratar o seguro por essa modalidade, o cliente responde a um questionário, informando condições de guarda do veículo, quem costuma dirigir, horários e locais em que transita. De acordo com as respostas, o desconto pode chegar a 50% em relação a uma apólice comum. Para garantir redução de custos, empresas contratam "detetives" Paulo Umeki, diretor de automóveis da Sul América, considera o seguro por perfil uma solução para reduzir custos. Para isso, a empresa contrata serviços de empresas especializadas para investigar os sinistros, fazer análises e perfil do segurado. O diretor operacional da Marítma, José Carlos de Oliveira, confirma a necessidade de auditorias com pessoas próximas aos segurados para checar a veracidade de informações prestadas, mas diz que nenhuma empresa utiliza detetive particular.Veja na seqüência mais informações sobre o segmento de seguros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.