Cuidados com talão de cheques no feriado

O consumidor que for realizar compras neste feriado deve tomar cuidados com furtos e roubos de seu talão de cheque. Para reduzir os riscos por perda ou roubo de cheques, o consumidor deve tomar algumas medidas como andar com o mínimo de folhas de cheque possível. Mas quem tiver algum problema com cheuqes roubados ou extraviados pode utilizar o serviço de informações sobre cheques da Centralização de Serviços dos Bancos S.A (Serasa), empresa de informações e análises econômico e financeiras.A pessoa que perder o talão de cheques, ou for assaltado, deve entrar em contato com o serviço de informações Recheque, administrado pela Serasa. O serviço tem cobertura nacional e funciona 24 horas também nos feriados. O correntista que tiver os talões de cheques roubados ou extraviados pode registrar, gratuitamente, a ocorrência diretamente na Serasa, a qualquer hora e de qualquer lugar do Brasil, pelo telefone (0xx11) 232-0137. A Serasa informa o comércio instantaneamente em todo o território nacional. O correntista, quando os bancos reabrirem, deverá procurar sua agência para fazer a sustação dos cheques roubados ou extraviados.Cuidados para o feriado Para reduzir os riscos por perda ou roubo de cheques, os consumidores devem tomar os seguintes cuidados:- Carregar apenas alguns cheques, necessários aos pagamentos das despesas ou compras do dia- Separar o cheque de qualquer documento pessoal; - Apresentar sempre documentos aos comerciantes. Vale até mesmo exigir que ele verifique sua carteira de identidade. Essa é uma prática que, além de proteger o correntista, ajuda o lojista na identificação de cheques roubados; - Os cheques devem ser sempre nominais e cruzados e nunca ao portador.InadimplênciaVolume de cheques sem fundos cresce 31%, revela estudo da SerasaO volume de cheques devolvidos por falta de fundos (em relação ao total de compensados) de janeiro a outubro de 2001 aumentou 31% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo estudo nacional da Serasa. No período, foram devolvidos, em média, 13,1 cheques em cada mil compensados. No ano passado, a média era de 10 devoluções a cada mil cheques compensados.No mês de outubro, foram devolvidos 14,3 cheques em cada mil compensados, a maior marca mensal já registrada pelo indicador desde sua criação em 1990. A variação indicou uma alta de 31,2% na comparação com outubro do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.