Cursinhos baratos: atalho para vencer no vestibular

Jovens que sonham com o ingresso em uma universidade pública mas não podem arcar com as mensalidades de um colégio ou curso preparatório privado encontram um bom reforço para o vestibular em cursinhos comunitários. Criados por estudantes preocupados com a exclusão no ingresso ao ensino superior, os cursinhos populares procuram amenizar a desigualdade.A aluna Cristiane Gonçalves da Silva, que mora em São Miguel Paulista (zona leste de São Paulo), estudou por dois anos no Cursinho da Poli até conseguir uma vaga em Ciências Biológicas na Universidade de São Paulo (USP). Depois de concluir o ensino médio em escola pública, Cristiane, hoje com 20 anos, chegou ao cursinho sem muita confiança. "Tive uma formação muito fraca, sabia que naquele momento não tinha condições de enfrentar o vestibular", conta.A passagem do ex-aluno Jackson Costa de Farias pelo Cursinho da Poli não ficou restrita às carteiras das salas de aula. Jackson, 23 anos, entrou na USP em 1998 para cursar História na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Já naquele ano, voltou ao cursinho, desta vez contratado como plantonista e, mais tarde, como professor. "Acho muito acolhedor aquele ambiente, me identifico bastante com os alunos porque há alguns anos eu estava na mesma situação que eles".O Cursinho da Poli, administrado pelo Grêmio da Escola Politécnica da USP, colocou este ano 15 mil vagas à disposição dos alunos, nos períodos da manhã, tarde e noite e aos fins de semana. As inscrições terminaram em 15 de fevereiro mas serão reabertas para o preenchimento das vagas das turmas de maio e agosto. As mensalidades variam de 90 a 140 reais, de acordo com o período.Também na USP, o cursinho da Faculdade de Economia e Administração e Contabilidade (FEA) já encerrou suas inscrições, no último dia 23. São oferecidas 140 vagas de manhã e 140 à noite, ao custo de 70 reais mensais pelo material didático. Novas inscrições só serão aceitas para o curso intensivo, que começa em dezembro.No cursinho do Núcleo de Consciência Negra da USP, o período de inscrições continua até 12 de março. O preço da mensalidade é 80 reais e as aulas acontecem de manhã ou à noite e aos sábados. Os interessados fazem uma prova de conhecimentos gerais e uma entrevista de avaliação socioeconômica.O cursinho do Conjunto Residencial da USP (Crusp) recebe inscrições até 1º de março. São 400 vagas e as aulas acontecem de segunda a sábado. Os alunos pagam 45 reais mensais pelas apostilas.No Instituto de Psicologia da USP, o cursinho da Psico, criado em 1999, oferece 300 vagas no curso que começa em março e termina em dezembro. As aulas são ministradas no período da noite e aos sábados pela manhã. Mais 90 vagas serão oferecidas para o curso que vai de agosto até dezembro. A mensalidade é de 70 reais.O Cursinho do XI foi fundado em 1996 pelo Centro Acadêmico XI de Agosto, da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Atende 300 alunos, 150 no período da manhã e 150 à noite. Parte do custo do material didático é bancado pela própria instituição e os alunos pagam 40 reais por mês para freqüentar as aulas. As inscrições terminam em 1º de março.O único curso inteiramente gratuito oferecido na USP é o Projeto Redigir, mantido por alunos de jornalismo da Escola de Comunicações e Artes (ECA). Os professores ensinam técnicas de redação a estudantes que já concluíram ou estão por concluir o ensino médio. Neste ano, o projeto mudou sua orientação pedagógica: a partir de agora, as aulas não serão direcionadas especialmente para a redação do vestibular, mas vão se orientar na idéia de que o domínio do texto escrito é uma forma de desenvolvimento da cidadania.As orientações do ProconAntes de entrar em um cursinho comunitário, é bom que os alunos tomem algumas precauções que podem evitar aborrecimentos mais tarde. A técnica de serviços do Procon-SP (órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual), Maria Cecília Rodrigues, destaca que o cursos pré-vestibulares - comunitários ou não - envolvem a prestação de serviços mediante pagamento e, por isso, estão sujeitos às determinações do Código de Defesa do Consumidor.Segundo ela, os estudantes devem checar no contrato de prestação de serviços cláusulas que especificam o preço das mensalidades, quantidade e horários das aulas, prazo de início e término no curso, algum tipo de sanção em caso de atraso ou desistência e, se possível, informações sobre o conteúdo das aulas. Maria Cecília ressalta: "Como se trata de cursinhos com orientação social, os organizadores provavelmente vão estar sensibilizados caso o aluno não possa pagar em dia alguma mensalidade ou tenha que desistir das aulas, mas é sempre bom conferir antes quais são as condições do curso".Confira a relação de alguns cursinhos comunitáriosCursinho da FEACursinho da FEAMensalidade: 70 reaisAs inscrições já se encerraram e serão reabertas em dezembro, quando começa o curso intensivoTelefone: (11) 3091-5811/3034-6166Número de vagas: 280Cursinho da PoliCursinho da PoliMensalidade: de 90 a 140 reais, de acordo com o cursoAs inscrições já se encerraram e serão reabertas para as turmas de maio e agostoTelefone: (11) 3611-8552Número de vagas: 15 milCursinho da PsicoCursinho da PsicoMensalidade: 70 reaisInscrições: Telefone: (11) 5089-3091Número de vagas: 300Cursinho do CruspCursinho do CruspMensalidade: 45 reaisInscrições: Até 1º de marçoTelefone: (11) 3091-3189Número de vagas: 280Cursinho do XICursinho do XIMensalidade: 40 reaisInscrições: Até 1º de marçoTelefone: (11) 3107-6293Número de vagas: 300Núcleo de Consciência Negra da USPNúcleo de Consciência Negra da USPMensalidade: 80 reaisInscrições: Até 12 de marçoTelefone: (11) 3091-4291Número de vagas: 140Projeto RedigirProjeto RedigirMensalidade: O curso é gratuitoInscrições: Até 8 de marçoTelefone: (11) 3091-4013Número de vagas: 280

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.