coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

'Curso contempla toda a cadeia produtiva da uva'

O bacharelado em enologia da Universidade Federal do Pampa (Unipampa- câmpus Dom Pedrito), no Rio Grande do Sul, foi criado em 2011 em função do potencial da região da Campanha, que passa por um crescimento do setor vitivinícola. "Havia no País, três cursos tecnológicos. Para ter um diferencial, criamos a modalidade bacharelado", diz a coordenadora da graduação, Renata Zoche (foto abaixo).

CRIS OLIVETTE, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2014 | 02h12

A professora explica que os cursos tecnológicos se dividem em dois eixos: viticultura e enologia. "O nosso curso tem um terceiro eixo que é o do agronegócio. Desta forma, contemplamos toda a cadeia produtiva da uva e do vinho."

Renata conta que a formação oferece disciplinas como comercialização, logística, mercado e marketing, além do que é o inerente à área de enologia, como produção de mudas por meio do sistema mais moderno que existe, chamado micro propagação e seleção clonal.

Segundo ela, o aluno precisa gostar de química, bioquímica e trabalho de campo. "Eles vão aprender a preparar o solo, mexer nos maquinários, a produzir e plantar mudas, além de fazer planejamento de vinhedo." A professora diz que essa é uma cultura perene e pode durar mais de cem anos, por isso o planejamento é essencial. "Também precisam saber sobre solo, clima, adubação e poda", conclui.

Renata diz que em uma segunda etapa, os estudantes aprendem a elaborar vinho e a fazer análise físico-químicas da bebida, passando em seguida para a parte de comercialização, que inclui os subprodutos da uva e do vinho. "Criamos um curso mais completo. Mas o fato de o curso ter química, cálculo, matemática e atividades de campo, assustou os alunos da primeira turma. Mas os que ficaram, se apaixonaram pelo curso e se tornaram bastante ambiciosos."

A aluna Esther Theisen, de 21 anos, faz parte do grupo que ficou e se apaixonou pela formação. "O cursos era uma novidade na região, que está passando por um processo de expansão dos empreendimentos voltados para a produção de uva e vinho. Mesmo sem ter intimidade com o assunto, eu me matriculei e me identifiquei."

Estudante do último semestre, ela faz estágio há um ano em uma vinícola da cidade. "Em janeiro, fevereiro e março, época de safra, trabalho no laboratório fazendo análise de controle de qualidade. Nos outros meses, guio grupos de turistas pela vinícola explicando como funciona o processo de produção de uvas e de vinho. Também trabalho em eventos apresentando os vinhos."

Esther conta que já recebeu proposta para ser efetivada na empresa. Mas também deseja passar um período no exterior, para se especializar na área de produção de vinho. "Desejo ir para a Itália fazer o curso de vinificação e trabalhar por um período em uma empresa."

Renata afirma que a Unipampa mantém convênio com universidades americanas e europeias. "Queremos que eles passem pelo menos alguns meses fora do Brasil." Segundo a professora, a faculdade dispõe de um moderno complexo enológico instalado em um prédio de três andares. "Contamos c0m laboratórios de ponta para que no futuro tenhamos cursos de mestrado e doutorado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.