finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Curto-circuito provocou apagão, diz nota do Ministério

Falhas provocadas por tempestades na região de Itaberá, interior de SP, desligaram linhas de Itaipu

Agência Estado,

16 de novembro de 2009 | 16h12

Um curto-circuito foi responsável pelo apagão que atingiu 18 Estados brasileiros na noite da última terça-feira, 10, informou o Ministério de Minas e Energia (MME) por meio de boletim publicado na tarde desta segunda, 16, no site da instituição. Segundo a nota, no dia do blecaute, pouco após as 22 horas, curtos-circuitos próximos à subestação de Itaberá, no interior de São Paulo, provocaram o desligamento de três linhas de alta tensão que transportavam energia da usina de Itaipu e do sistema Sul.

 

Veja também:

linkCurto-circuito em torre deve ter causado blecaute, diz Lula

especialO Brasil no escuro: entenda o efeito dominó do sistema

lista Histórico dos grandes apagões brasileiros

lista Leia a cobertura completa sobre o blecaute

"Com a perda da Usina de Itaipu e do fornecimento da Região Sul, outras usinas também foram desligadas automaticamente na Região Sudeste, a mais afetada por essas ocorrências", explica o comunicado. O MME voltou a ressaltar que a região enfrentava descargas atmosféricas, ventos e chuvas intensas naquela noite. Apesar disso, o ministério afirma que o País não enfrentará problemas de falta de energia no futuro.

O comunicado lembrou que, por orientação do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico criou um grupo de trabalho, coordenado pelo MME, para acompanhar a análise das causas do apagão e buscar medidas que "aumentem o grau de segurança e confiabilidade do sistema interligado de fornecimento de energia elétrica".

Está prevista para a terça-feira a divulgação do Relatório de Análise de Perturbação (RAP), do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), sobre as análises feitas nos aparelhos que medem o fluxo de energia nas linhas, e que servirá de base para a investigação a ser conduzida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.