Custo contra calote da Grécia, Espanha e Portugal cai com melhora nos mercados

Queda foi influenciada pela notícia de que ajuda da UE e FMI à Grécia pode somar € 120 bi em 3 anos

Danielle Chaves, da Agência Estado,

29 de abril de 2010 | 08h36

O custo do seguro da dívida soberana de Grécia, Espanha e Portugal caiu fortemente na manhã desta quinta-feira, 29, conforme o sentimento do mercado melhorou, em seguida a notícias de que o pacote de ajuda conjunto do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia para a Grécia agora pode totalizar até 120 bilhões de euros durante três anos.

 

Também levou a uma melhora nos mercados os comentários do comissário europeu para relações econômicas e monetárias, Olli Rehn, que afirmou estar confiante de que as negociações sobre a ajuda à Grécia podem ser concluídas nos próximos dias.

 

Pouco antes das 8h (horário de Brasília), os swaps de default de crédito (CDS) dos bônus de cinco anos da Grécia estavam em 600 pontos-base, 120 pontos-base abaixo do fechamento da véspera, segundo a Markit, quando os CDS da Grécia chegaram à máxima intraday de 855 pontos-base

 

O impacto do rebaixamento da Espanha pela agência de classificação de risco Standard & Poor's, na véspera, sobre o custo do seguro da dívida soberana do país diminuiu e os CDS de cinco anos da Espanha caíram 10 pontos-base, para 175 pontos-base. Os CDS de Portugal operam com queda de 32 pontos-base, a 295 pontos-base. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.