Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Custo da cesta básica no RJ recuou 2,07% em março

O custo das cesta de compras consumidas pelas famílias do município do Rio de Janeiro caiu 2,07% em março, ante fevereiro. O dado foi divulgado hoje pelo Instituto Fecomércio-RJ. De acordo com a organização, foi a maior queda registrada desde o início da pesquisa, em 1999. O valor médio da cesta, que era de R$ 295,90, passou para R$ 289,78.Em março, foram registradas quedas expressivas nos preços de maçã (-15,66%), tomate (-14,76%), açúcar refinado (-11,95%), papel higiênico (-7,01%) e queijo prato (-6,51%). Porém, houve elevações significativas de preços no mês em cenoura (33,10%), cebola (18,50%) e ovo (11,74%). Em 2004, o custo da cesta de compras acumula queda média de 0,93%.Em comunicado da instituição, o diretor do instituto, Luiz Roberto Cunha, informa que houve uma queda generalizada de preços. Dos 39 produtos analisados, 27 apresentaram redução de preço. Na avaliação do economista, "a boa safra de produtos alimentícios aliada à queda do poder de compra e da redução da demanda estão fazendo com que os custos para as famílias caiam".Ele observou que, este quadro pode "ajudar a flexibilizar ainda mais a política monetária e reforçar a possibilidade de continuação da política de redução dos juros, reiniciada na última reunião do Comitê de Política Monetária". Todas as faixas de rendimento registraram queda nos custos de suas cestas em março, ante fevereiro.Variações por faixaA faixa com renda acima de 30 mínimos foi a mais favorecida: suas cestas ficaram 2,44% mais baratas em março. A variação para as famílias do grupo com renda de até oito salários mínimos mensais, ficou negativa em 1,78%. Já no grupo cuja renda é acima de oito mínimos de renda, a redução média foi maior, de 2,28%.No caso específico da última semana de março (entre 24 e 31 de março), o custo médio da cesta registrou queda de 1,04%. Na última semana do mês, os produtos que mais caíram de preço foram: maçã (-7,59%), tomate (-6,87%), açúcar refinado (-5,82%), carne bovina de primeira (-3,83%) e sabão em pó (-3,04%). Em contrapartida, subiram expressivamente de preço a cenoura (8,74%), o ovo (7,21%) e a banana prata (3,86%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.