Custo da construção desacelera e sobe 0,15%

O aumento médio no custo da construção em São Paulo ficou abaixo da inflação medida pelo IGP-M, no mês de outubro, pelo segundo mês consecutivo, mostrando uma desaceleração de preços no setor. O custo unitário (CUB-Geral) da construção subiu 0,15% em relação a setembro e chegou a R$ 807,15 por metro quadrado. O CUB material foi de 0,21% e o da mão-de-obra, 0,10%, informou hoje o Sindicato da Indústria da Construção de São Paulo (Sinduscon-SP).Diz o estudo do Sinduscon-SP que se os preços seguem uma tendência de desaceleração, o mesmo não se pode dizer do nível de atividades. A recuperação do setor ainda está distante: de acordo com o IBGE, a produção física de materiais de construção continua acusando queda acentuada. No ano, até setembro, a redução já alcança 8,2%.Os dados de emprego em São Paulo também apontam diminuição das atividades: no ano até agosto, a redução de postos de trabalho na construção civil chegou a 2.250 trabalhadores.Entre os materiais de construção que mais caíram em outubro está o cimento, com queda de 0,28%; o perfil de alumínio, - 3,63%; vaso sanitário - 0,76%; vidro de 10 milímetros, - 3,41%; prego, - 0,42%; e outros produtos.O CUB no ano teve uma variação de 13,51% e em 12 meses, chegou a 16,92%; o CUB mão-de-obra teve um aumento no ano de 16,36% e, em 12 meses, de 16,47%; o CUB material, subiu 10,27% no ano e 17,55% em 12 meses. O IGP-M no mesmo período de análise teve um aumento de 0,38% em outubro; de 7,52% no ano e em 17,34% em 12 meses findos em outubro. O CUB é o custo unitário básico, indicador utilizado no reajuste de contratos do setor da construção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.