Custo de vida cresceu em agosto

O Índice do Custo de Vida calculado pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (ICV-Dieese) registrou alta de 1,31%, em agosto. A previsão da coordenadora do ICV, Cornélia Nogueira Porto, era que o índice não ultrapassaria 1%. Com esse resultado, a economista acredita que o índice possa superar os 8% até o fim de 2000.Segundo Cornélia, para não ultrapassar esse porcentual, seria necessário alcançar uma inflação média mensal de 0,50% até o fim do ano. "O que é pouco provável diante da previsão de aquecimento da economia para os próximos meses", diz. Em julho, o índice ficou em 2,13% e, no ano, registra 5,54% de aumento. Nos últimos 12 meses, o ICV acumula alta de 9,21%.Em agosto, os combustíveis e os alimentos permaneceram entre os grupos de maior peso para a alta, somando 1,22 ponto porcentual de contribuição, com altas de 4,57% e 1,97%, respectivamente. Estimativa para setembro é de 0,50% e 1%Para setembro, a previsão da coordenadora do ICV é de um índice entre 0,5% e 1%. De acordo com ela, mesmo que, sem a pressão dos combustíveis e alimentos a inflação caia, a média não deve se manterabaixo de 0,5%.Cornélia explica que são os preços administrados pelo governo os que mais colaboram para inflação. No acumulado de 20 meses, desde a desvalorização do real diante do dólar em janeiro de 1999, esses itens mostraram aumento de 38,4%. Só os combustíveis e o gás de botijão foram reajustados em 87,2% no período. Nos mesmos 20 meses, os produtos e serviços com preços estabelecidos pelo mercado subiram, em média, 10,8%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.