Custo de vida da classe média cai 0,15% em SP

A Ordem dos Economistas do Brasil informou, nesta terça-feira, que registrou uma deflação de 0,15% nos preços ao consumidor no município de São Paulo. A queda dos preços foi captada pelo Índice de Custo de Vida da Classe Media (ICVM), que em janeiro havia mostrado uma elevação média de 0,72% nas despesas das famílias com renda mensal entre 10 e 40 salários mínimos.Com a elevação do custo de vida no mês passado, a inflação acumulada pelo ICVM nos primeiros dois meses do ano ficou em 0,57% e nos últimos 12 meses, em 3,44%. Quando aberto por grupos, verifica-se que a maior alta foi apresentada pela Saúde, 0,57%, puxada pelos serviços médicos (0,60%), consulta oftalmológica (1,24%) e remédios e produtos farmacêuticos (0,49%).TransportesOs preços do grupo Transportes fecharam o mês com alta de 0,45%, refletindo, principalmente, os aumentos de 4,19% no preço do licenciamento dos automóveis e de 2,32% do álcool combustível. Já os transportes urbanos apresentaram queda de 0,55% em reposta à alteração do sistema de integração.No grupo Despesas Pessoais, os preços aumentaram, em média, 0,08%. Os destaques ficaram por conta das bebidas alcoólicas (0,49%) e artigos de beleza (0,30%). Os produtos de higiene pessoal sofreram uma queda de 0,92%. Os gastos com Educação, que em janeiro pressionaram sobremaneira os indicadores de inflação, já caíram 0,01% em fevereiro.De acordo com os analistas da Ordem dos Economistas, os responsáveis por esse comportamento foram as quedas de 0,08% nos materiais escolares e de 0,14% nos livros didáticos. O grupo Habitação fechou com uma deflação de 0,29%. As quedas vieram dos aparelhos de imagem e som (-2,34%) e dos eletroeletrônicos (-0,95%)Alimentação e vestuárioOs grupos Alimentação e Vestuário também encerraram o mês passado em queda. O primeiro registrou deflação de 0,35%, ajudado por frango (-8,13%), carne suína (-5,78%) e carnes bovinas (-2,95%). As altas foram registradas nos preços do IPTU (3,83%), do gás encanado (1,68%) e do álcool de limpeza (1,27%). Em razão das queda de 1,32% nos preços das roupas femininas; de 1,45% das roupas masculinas e de 0,18% dos calçados, o grupo Vestuário fechou fevereiro com uma deflação de 0,91%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.