Custo de vida em SP sobe 6,1% em 2008, maior alta em 4 anos

Recuo nos preços de alimentação em dezembro ajudam a taxa no ano, mas inflação ainda é maior desde 2004

Anne Warth, da Agência Estado,

08 de janeiro de 2009 | 11h57

O Índice do Custo de Vida (ICV) subiu 6,11% em 2008 na capital paulista, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 8, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O resultado ficou acima da inflação apurada pela instituição em 2007, de 4,80%, e representou a taxa mais alta para a cidade desde 2004 (7,70%). Veja também:Inflação se intensifica entre famílias pobres, indica FGVEntenda os principais índices  Não fosse o recuo de preços do grupo Alimentação em dezembro, de 0,20%, o ICV teria sido ainda maior, já que nos 12 meses encerrados em novembro, o indicador acumulava alta de 7,16%. Na apuração por grupo, o destaque no ano passado foi Alimentação, com alta de 9,90%, seguido por Habitação (7,65%) e Despesas Pessoais (7,08%). As menores variações foram apuradas nos grupos Equipamento Doméstico (-1,38%), Vestuário (0,53%), Recreação (1,68%) e Transporte (2,16%). Saúde subiu 4,44% e Educação e Leitura 5,25%. Dentro do grupo Alimentação, todos os subgrupos apresentaram altas marcantes. Produtos in natura e semielaborados subiram 10,53%, Indústria Alimentícia subiu 8,07% e Alimentação Fora do Domicílio, que teve a maior alta, 11,96%. Dezembro O ICV subiu 0,10% em dezembro na capital paulista, segundo o Dieese. O resultado foi 0,43 ponto porcentual inferior à inflação verificada em novembro, quando o índice subiu 0,53%. A taxa de dezembro foi determinada pelo comportamento do grupo Alimentação, que registrou queda de 0,20%, após altas de 0,67% em outubro e de 0,76% em novembro.  O grupo contribuiu com -0,06 ponto porcentual no ICV, principalmente em razão dos alimentos in natura e semielaborados, com queda de 1,05% e contribuição negativa de 0,13 ponto porcentual. Já o item Indústria da Alimentação subiu 0,30%, com contribuição de 0,03 ponto, e Alimentação Fora do Domicílio aumentou 0,81%, com contribuição de 0,04 ponto. Por outro lado, mereceu destaque o comportamento de elevação dos grupos Saúde (0,71%) e Vestuário (0,59%), que em conjunto contribuíram com 0,12 ponto para o ICV. No caso de Saúde, Seguros e Convênios Médicos forma responsáveis pelo comportamento altista, com elevação de 1,09% e contribuição de 0,10 ponto. Já no grupo Vestuário, houve aumento tanto nas roupas (0,88%) como nos calçados (0,25%).

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoICVDieese

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.