Custo de vida subiu menos em outubro, diz Dieese

O custo de vida na cidade de São Paulo apresentou uma variação de 0,47% em outubro, segundo o Índice do Custo de Vida (ICV), apurado mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese). Com isso, verifica-se queda de 0,79 ponto percentual nas despesas das famílias paulistanas, em comparação com a taxa de 1,26% registrada em setembro.A inflação do Dieese é também menor que a alta de 1,13% apresentada em outubro do ano passado. Os gastos com alimentação, com alta de 0,96%, dentre os itens pesquisados foram os preços que mais subiram. A taxa de inflação só não foi maior porque as tarifas públicas reduziram a pressão sob a composição do índice, mostrando apenas variações residuais.O grupo Habitação, que reúne as principais tarifas (telefonia, energia elétrica e água e esgoto), fechou o período com uma variação de 0,50%. Também o grupo Saúde, 0,80%, entrou na lista dos itens que mais subiram em outubro. Entre as quedas, os destaques ficaram para o grupo Transportes (0,22%) e Equipamentos Domésticos (0,08%).O Dieese aponta ainda que a inflação para as famílias mais pobres, com renda média de R$ 377,49, foi maior em outubro, de 0,55%, devido ao aumento do grupo alimentação (0,96%).Para as famílias com renda intermediária, de R$ 934,17, a inflação de outubro ficou em 0,46%, enquanto que para as mais ricas (R$ 2.792,90) atingiu 0,44%. Em setembro o comportamento da inflação já havia sido desfavorável para as famílias mais pobres por conta do comportamento dos alimentos e das tarifas públicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.