Custos com transportes aumentaram

Embora realizados com metodologias diferentes, os institutos de pesquisas que medem a variação do custo de vida usam as Pesquisas de Orçamento Familiar (POF) como base para o cálculo da inflação. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estará em busca de parceiros, neste e no próximo mês, para atualizar os dados de sua POF, realizada pela última vez entre 1995 e 1996, para o cálculo do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Os resultados devem confirmar que cada vez mais as despesas com transportes comprometem os orçamentos familiares brasileiros, assim como os gastos com tarifas, principalmente de telefone e energia elétrica. O levantamento de dados para a pesquisa, que começa em agosto e vai até julho de 2002, deverá envolver recursos da ordem de R$ 8 milhões e compor uma amostra de 50 mil domicílios. A estimativa do coordenador do Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), Heron do Carmo, é de que, atualmente, os gastos com transportes já estejam equiparados aos de alimentação entre as despesas dos brasileiros. Na última POF, base para o cálculo do IPC, os dados coletados pela Fipe entre junho de 1998 e maio de 1999 mostraram que as despesas com alimentos correspondem a 22,7% do orçamento familiar do paulistano com renda de até 20 salários mínimos. De acordo com os dados da última POF, o transporte pesa 16% no gasto das famílias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.