CUT avalia que microcrédito não é suficiente para crescimento

As novas políticas para o microcrédito, que foram lançadas hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, são importantíssimas para a retomada do crescimento da economia, mas insuficientes. A afirmação foi feita pelo presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Luiz Marinho. ?É preciso também lançar o Primeiro Emprego e investir o dinheiro público em infra-estrutra - em estradas, portos ferrovias e energia elétrica. Também é preciso reduzir os juros. A última redução foi tímida?, avaliou.Reformas e campanha salarialMarinho participou hoje da primeira reunião entre centrais sindicais e parlamentares no Congresso para discutir a reforma da Previdência. De acordo com ele, a reforma é necessária, ?mas é preciso fazer algumas correções de conteúdo, pois, como está, traz alguns prejuízos aos trabalhadores?. Entre os tópicos de mudança da proposta atual estão o teto salarial, que passaria de R$ 2.400, 00 para R$ 4.800, 00, um patamar diferente para a taxação de inativos ? o governo sugere a partir de R$ 1.058,00 e a CUT defende a não-taxação - e a inclusão do fator previdenciário para o setor privado. Todas as alterações, segundo Marinho, podem ser negociadas.Sobre a campanha salarial do segundo semestre, que está prevista para começar no próximo dia 7, o presidente da CUT disse que é preciso manter o poder aquisitivo dos trabalhadores, pois a inflação passada é grande e é preciso manter o poder aquisitivo dos trabalhadores. Caso contrário, segundo ele, o consumo cai, o que significa menor produção, podendo gerar mais desemprego.Para ouvir a entrevista completa, acesse o site www.aefinanceiro.com.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.