CUT cobra contrapartida social na política industrial

A CUT vai cobrar do governo Lula cláusulas sociais como contrapartida aos benefícios que serão concedidos na política industrial que está sendo finalizada pela equipe econômica. O central sindical apresentará as propostas na reunião desta quinta-feira do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), em Brasília. "Vamos sugerir medidas que contemplem algumas lacunas que percebemos na política vigente hoje", informa nota da CUT. Segundo o documento, as contrapartidas serão "metas de emprego e respeito à organização sindical". A central também propões índices de nacionalização de bens produzidos no País, com porcentual de conteúdo local negociado de modo tripartite: empresários, empregadores e governo. "Outra lacuna a ser resolvida é a participação do sistema financeiro no apoio à política industrial do País", informa o documento. A CUT também defende que além dos setores hoje contemplados, a política industrial dê respostas para outros segmentos como construção civil, têxtil, calçados, automobilístico, aeroespacial e alimentos.

Agencia Estado,

10 Março 2004 | 17h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.