CUT isenta governo de responsabilidade por atraso no 13º

O secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores (CUT), João Felício, isentou o governo de Luiz Inácio Lula da Silva de responsabilidade pelo possível atraso do pagamento do 13º salário. Pesquisa divulgada ontem pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) revela que mais de um terço das micro e pequenas empresas do setor industrial paulista podem deixar de pagar em dia, por falta de recursos, o benefício do trabalhador. "Essa situação é lamentável. Mas não podemos responsabilizar o novo governo. Isso seria um exagero", afirmou o sindicalista. Para Felício, a situação das micro e pequenas empresas é compreensível. "Compreendemos as dificuldades, mas não se pode punir o trabalhador. A situação ainda é fruto da herança dos governos anteriores", comentou. Selic e crescimento econômicoO secretário-geral da CUT, no entanto, defendeu uma redução mais acentuada da taxa básica de juros, a Selic, que está em 19% ao ano. "É preciso ainda que o governo crie mecanismos de proteção para as micro e pequenas empresas assim como tenha uma política industrial de fato", observou. Para o sindicalista, apenas com o crescimento econômico será possível reverter o quadro de estagnação e a conseqüente situação de dificuldade enfrentada pelas empresas e trabalhadores atualmente. "Agora, se no ano que vem o crescimento econômico for pífio, aí sim poderemos culpar o atual governo", finalizou o sindicalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.