CUT prevê guerra de liminares no leilão da Cesp

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) previu hoje uma guerra de liminares em torno do leilão de venda da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), programado para quarta-feira, na Bovespa, em São Paulo, e disse que "tudo pode acontecer durante esta semana". Após mencionar o fato de o governo estadual ter afirmado que possui plano para uma guerra de guerrilha, ele desafiou: "Guerra declarada. Vamos ao bom combate".Hoje, o Sindicato dos Trabalhadores Energéticos do Estado de São Paulo, filiado à CUT e conhecido como Sinergia CUT, ajuizou uma ação popular com pedido de liminar na Vara da Fazenda Pública do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo contra o leilão da Cesp. De acordo com a CUT, o principal argumento da ação é a avaliação do valor da empresa."O mercado avalia o ''negócio'' como arriscado demais e faz lobby pesado para baixar o valor da Cesp. Nos bastidores, fala-se também que estariam fazendo um acordo para ninguém aparecer no dia do leilão", disse o presidente nacional da CUT, Artur Henrique, em nota à imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.