bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

CUT promete série de protestos contra a CLT em SP

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) promete realizar amanhã uma série de protestos no Estado de São Paulo, que será concluída com um grande ato na Avenida Paulista, contra a redução dos direitos dos trabalhadores por conta da flexibilização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), atualmente em tramitação no Congresso. Ao mesmo tempo, a Força Sindical, em caminho contrário, antecipa-se à aprovação da mudança da CLT no Poder Legislativo e assina acordos de flexibilização com sindicatos patronais.A mobilização da CUT terá início na parte da manhã e pretende interromper as atividades dos setores financeiro, de transporte, de educação, da saúde e da indústria. As manifestações acontecerão em Bauru, Campinas, Sorocaba, Jundiaí, ABC, Guarulhos, Osasco, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Vale do Paraíba e Baixada Santista. Às 16h, a central realizará um ato unificado no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp).Por sua vez, a Força Sindical assinará, às 15h, em sua sede, um acordo de flexibilização da CLT a ser firmado entre os seus 50 sindicatos de metalúrgicos filiados em São Paulo e os representantes dos grupos do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) e do Sindicato Nacional da Indústria de Máquinas (Sindimaq). Segundo a Força, os acordos flexibilizam férias, 13º salário, Participação nos Lucros e Resultados, horário de almoço e licença paternidade.Em comunicado, a Força Sindical afirma que, "apesar de ser assinado pelos sindicatos de trabalhadores e pelos grupos patronais", o acordo é individualizado por empresa e é por adesão, ou seja, "nenhuma empresa poderá colocar o acordo em prática sem que tenha sido aprovado em assembléia realizada pelos trabalhadores".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.