Neco Varella/AE
Neco Varella/AE

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

CVM condena administradores da Unicasa por uso de informação privilegiada

Diretor presidente e o ex-vice-presidente do conselho de administração da empresa vão pagar multa individual de R$ 200 mil

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2017 | 19h33

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) condenou Frank Zietolie e Juvenil Antônio Zietolie, na qualidade de administradores da Unicasa Indústria de Móveis S.A., por negociação de ações da companhia com posse de informação sigilosa ainda não divulgada ao mercado. O diretor presidente e o ex-vice-presidente do conselho de administração da empresa vão pagar multa individual de R$ 200 mil.

Em 16 de dezembro de 2013, a companhia divulgou fato relevante ao mercado informando a adesão da Unicasa ao Programa de Parcelamento de Débitos da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional e Secretaria da Receita Federal (Refis). Porém, a CVM identificou que Frank e Juvenil, também acionistas integrantes do bloco de controle da companhia, adquiriram ações da Unicasa antes dessa divulgação. A empresa é acusada de "insider trading", quando há vantagens em uma negociação pela obtenção de informações privilegiadas.

LEIA TAMBÉM: CVM condena Eike Batista por uso de informação privilegiada na OSX

A diretoria do órgão regulador concluiu que a decisão de aderir ao Refis é relevante, já que a renegociação de dívidas tem reflexos importantes para a companhia, como por exemplo nas condições de acesso a financiamentos. De acordo com o relator do caso, o diretor Henrique Machado, a adesão também faz surgir diferenças entre saldos consolidados e valores registrados na contabilidade, tendo por isso potencial de afetar a decisão de investimento do mercado.

Os dois ainda podem recorrer da decisão ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.