CVM dos EUA acusa adolescentes britânicos de enganar investidores

Irmãos foram acusados de enganar 75 mil grandes investidores americanos, que pagaram ao menos US$ 1,2 milhão por um software comercializado como um ‘robô de seleção de ações’

Renan Carreira, da Agência Estado,

20 de abril de 2012 | 19h09

WASHINGTON - Dois irmãos gêmeos britânicos enganaram milhares de investidores americanos fazendo-os acreditar que um programa de computador, comercializado como um "robô de seleção de ações", chamado Marl, poderia selecionar papéis baratos que saltariam de preço, informou nesta sexta-feira a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês).

A SEC acusou os irmãos Alexander John Hunter e Thomas Edward Hunter de enganar 75 mil grandes investidores americanos que pagaram ao menos US$ 1,2 milhão pela assinatura de uma newsletter e pelo software usado para acessar as escolhas de ações do Marl, de acordo com a SEC. Os irmãos, agora com 21 anos, iniciaram o esquema em 2007, quando eles tinham apenas 16 anos, segundo a Comissão. Alexander Hunter se declarou culpado no último novembro no Reino Unido.

A SEC recebeu as primeiras reclamações das vítimas em 2008. A Comissão, porém, não fez acusações de fraudes imediatamente porque queria ter certeza de que teria todos os elementos de comprovação do caso, afirmou uma autoridade da SEC. A Comissão pretende multar os irmãos e forçá-los a devolver os recursos para os investidores. Eric Bruce, um advogado que representa os irmãos, não respondeu imediatamente os pedidos para comentar o assunto. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
InvestidoresGolpe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.