CVM é contra uso do FGTS para compra de ações

O presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Marcelo Trindade, disse hoje ser contra o uso do FGTS na compra de ações. Segundo ele, o pequeno investidor ainda não tem exata noção dos riscos que corre ao entrar em aplicações desse tipo. ?Eu sou muito reticente quanto ao uso do fundo de garantia para a aquisição de ações. A gente tem dois casos de sucesso para contar graças a Deus: Petrobras e Vale. Mas, vamos parar por aí?, afirmou.O sucesso das ofertas com ações da Petrobras e da Vale do Rio Doce, segundo ele, podem passar uma falsa idéia ao investidor que qualquer negócio que envolva compra de ações com o FGTS será rentável. ?O mercado de capitais não é feito só de histórias de sucesso. Quando as pessoas verem que seu fundo de garantia virou pó, nada, vai ser muito difícil?, alertou.Para Trindade, a baixa remuneração do FGTS não pode ser usada como desculpa para se transferir recursos para o mercado de capitais. Ele defendeu um aumento na remuneração do fundo de garantia e a criação de mecanismos para pulverizar o risco das aplicações em bolsa, como a permissão que os recursos do FGTS possam ser usados em aplicações em fundos ou clubes de investimento. Dessa forma, o trabalhador teria sua poupança dividida em várias ações e não apenas uma só empresa, o que eleva o risco de oscilações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.