CVM estuda criação de novo índice de ações

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) estuda a criação de um índice de ações para regular as operações de direito de recesso no mercado brasileiro. O direito de recesso é dado ao acionista quando ele quer vender suas ações em caso de fusões e incorporações. É válido para os papéis sem liquidez - dificuldade de negociação - e, neste caso, a empresa é obrigada a recomprar as ações. O índice terá por objetivo determinar quais são as ações que têm liquidez e, portanto, não dão ao investidor o direito de recesso. O trabalho será feito pela CVM em conjunto com as bolsas de valores nacionais. A diretora da CVM Norma Parente explica que é falha a fórmula usada atualmente para medir a liquidez de um papel, que toma por base o índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Segundo ela, isso acontece porque o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bovespa - é composto por uma série de papéis que tem poucos negócios no mercado. Hoje, o Ibovespa é formado por 57 ações de 47 empresas brasileiras. A diretora da CVM informou que o índice a ser criado deverá ser revisto periodicamente.

Agencia Estado,

23 de novembro de 2001 | 13h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.